Glossário,  de Q...  a .... Z       (Página 12 de 12) 

HOME

1) Sexo e Sociedade
2) Sexualidade e Escola
3) Quando começar.
 Virgindade real e falsa.
 Cancro  uterino.
     
4) Genitais femininos.
 Cancro genital e das mamas
5) Genitais masculinos.
 Cancro da próstata.
6) Gravidez, contracepção,
 aborto, preservativos.
7) A Reprodução, causas de infertilidade
8) Doenças e disfunções
 sexuais.
9) Sexo oral, coito anal,
  homossexualidade.
10) Menstruação, pensos,
 masturbação, Ponto G.

posições sexuais.
11) Glossário: A a P
  Afrodisíacos.... Pedofilia
12) Glossário: Q a Z
 Sadismo ... SIDA... vulva
  «---

Q

Queca (aparece por vezes escrito qeca): Termo popular para uma relação sexual à pressa. Ver Rapidinha e Transar.

Curiosidade: Pergunta feita, por escrito, por um aluno (com idade entre os 8 e os 13 anos) numa aula de educação sexual feita numa escola portuguesa: "Se um gajo com uma infecção urinária der uma qeca sem preservativo a uma gaja, a gaja também apanha essa infecção"?  (Noticiário da TVI, 2/03/04)

R

Rapidinha: Termo popular brasileiro para uma queca. Ver transar.

S

Sadismo sexual: Perversão sexual daqueles (sádicos ou sadistas) que tiram prazer sexual sendo cruéis e violentos ou praticando sevícias sexuais. A violação muitas vezes está ligada ao sadismo que pode levar ao assassínio, como caso extremo.
O pseudo-sadismo faz parte dos «serviços» prestados na prostituição para satisfazer desejos de masoquistas. Não é, normalmente, um verdadeiro sadismo.

Sadomasoquismo (ou sadomasochismo): Perversão sexual que associa um comportamento sexual sadista por parte de uma pessoa ao masoquismo do seu parceiro sexual. 

Satiríase: Erotismo ou desejo sexual  excessivo no caso do homem. «Sexo-maníaco ou tarado sexual». Comparar com prianismo e ninfomaníaca, na página 11.

Serotonina: Hormona cerebral, actuando como travão de impulsos espoletados por hormonas como a testotesrona.

Sexo oral:Actividade sexual envolvendo a boca. Ver cunilíngua e felação, na página 11

SIDA (AIDS): Sindroma de Imuno-Deficiência Adquirida. Uma doença muito grave causada pelo Vírus da Imuno-Deficiência Humana (VIH) do qual há várias variantes, um retrovírus que ataca o sistema imunológico ( os linfócitos T), tornando difícil ao corpo defender-se de microrganismos infeccioso e expondo o corpo humano a diversas infecções oportunistas devastadoras: candidíase esofágica e broncopulmonar, criptococose disseminada do sistema nervoso central, pneumonia intersticial por pnemocystis carinni ou por micobactérias atípicas, toxoplamose, histoplasmose, criptosporidiose, infecções por citomegalovírus e vírus herpético, cancros (sarcomas de Kaposi e linfomas), etc, etc.

A 5 de Junho de 1981 fou emitido nos Estados Unidos o primeiro aviso acerca de uma nova doença que, a partir de 1983, passou a ser conhecida por SIDA (AIDS), tendo os primeiros casos sido diagnosticados em homossexuais, mas veio a verificar-se que a SIDA  já existia (1979) em certas regiões da África Equatorial e no Haiti,  mesmo entre heterossexuais. 

Pensa-se que teve origem em África, passada por símios ou macacos  infectados e manuseados por indígenas dessas regiões, mas também se suspeita de vacinas, contra a poliomielite, infectadas com o virus. Desde então, a enfermidade já matou perto de 21 milhões de pessoas, estimando-se que existam, de momento, cerca de 40 milhões de afectados e é a principal causa de morte em África e a quarta em todo o mundo.

O vírus transmite-se por contacto sanguíneo (mesmo uma pequena ferida ou fissura) e outros fluidos corporais como seja o esperma. As relações sexuais promíscuas não protegidas dão uma forte probabilidade de contaminação.

Os indivíduos de alto risco são os toxicómanos (que partilham seringas contaminadas), os homossexuais e bissexuais, prostituto(a)s e os seus  "clientes".
Devido à promiscuidade sexual dos heterossexuais estes também estão a ser fortemente afectados pela SIDA. A contaminação por transfusões sanguíneas é, no estado actual de alerta nos sectores responsáveis, cada vez mais rara.

Pode-se ser portador de VIH durante vários anos antes do aparecimento de manifestações clínicas. Os primeiros sintomas podem ser: acessos febris recorrentes, diarreia, emagrecimento não justificado, linfadenopatias.

De momento não há vacina nem cura para a SIDA. Prevenir é o melhor remédio. Todo o indivíduo sexualmente activo deve usar preservativos  nas suas relações íntimas, seja ela qual for.

Estuda-se se é ou não verdade que os homens não circuncidados correm maior risco de infecção por HIV, através do acto sexual, do que os circuncidados. 
Um novo estudo conduzido por pesquisadores de Chicago mostra que as camadas internas de mucosas do prepúcio (pele que cobre a glande do pénis) são mais susceptíveis a infecção por HIV do que o tecido cervical ou as camadas externas do prepúcio. 

Um casal que pretenda ter filhos deve consultar o seu médico de família para um teste à possível existência de SIDA.

 

T

Transar: Termo popular Brasileiro (não sendo calão) para «fazer amor».

Transformista: um termo de origem popular, sinónimo de travesti e mais usado nos meios artísticos. Os Drag-Queen são homens que se vestem de mulher de forma muito exuberante, normalmente por motivos profissionais.

Transsexual (ou transexual): Pessoa que mudou ou quer mudar de sexo (de género sexual).

Transsexualismo autêntico: Um transsexual tem a genitália externa e características sexuais secundárias de um sexo, mas tem identificação pessoal e configuração psicossocial com o sexo oposto, e a maioria dos operados já tinham características corporais razoavelmente compatíveis com o  sexo desejado.
Muitas das operações são para mudar de homem para mulher, mas em Portugal é mais frequente a mudança de mulher para homem.
A cirurgia cosmética e estrutural envolvida em operações de mudança de sexo é muito complexa, estando bem definidas directrizes para se escolherem os candidatos, tanto mais que tal operação é irreversível. Na decisão final estão envolvidos psiquiatras, psicólogos, agentes sociais, e cirurgiões.
No caso de pacientes biologicamente homens, o pénis é esvaziado preservando-se a pele e os nervos que irão ser convertidos em revestimento para a vagina artificial, e o escroto em  lábios vaginais. Doses altas de estrogéneos provocam um crescimento dos seios. Os resultados finais são razoáveis.
Já a mudança de uma biologicamente mulher para homem não é tão efectiva sobretudo devido ao enorme problema de criação dum pénis mais ou menos funcional, do qual há dois tipos: os rígidos e os insufláveis. Os peitos, o útero e os ovários são removidos e doses altas da hormona testosterona é administrada mas não se consegue obter a estrutura óssea ou desenvolvimento muscular desejável.
Oficialmente, a primeira operação de alteração de sexo ocorreu em 1952 a um fuzileiro naval norte -americano (George Jorgensen Jr), convertido a mulher. Em Portugal parece ter sido executada pela primeira vez em 1998.
Não confundir com operações feitas em casos de hermafroditismo, referido na página 11.

Transsexualismo psicossocial ( ou Shemale) refere-se a um homem que não tendo feito uma operação de alteração de sexo, fez um tratamento hormonal e tem uma vivência psicossocial como mulher.
Um fenómeno parecido é conhecido no Brasil onde rapazes adolescentes, com tendência homossexual, se vestem como raparigas (garotas) e injectam azeite ou outros produtos nos seios para os avolumarem, e que se auto intitulam «gayrotas».

Travestismo ou transvestismo ou transvestitismo: Uma parafilia , sendo a prática de sentir prazer em vestir roupas do sexo oposto. Tanto sucede a homens como a mulheres. Mais vulgarmente aplicado ao travestido, transvestido ou travesti masculino. Nestes indivíduos, não há conflito entre o sexo biológico  e o sexo psicológico (género sexual), como sucede nos transsexuais e, como tal, geralmente não há o desejo de mudar de sexo biológico. Muitos travestis masculinos usam, às escondidas ou em público,  vestidos e roupas de mulher, cabeleiras postiças, seios artificiais, maquilhagem e têm maneirismo femininos. Alguns travestis são heterossexuais (a estes também se aplica o termo de cross-dressing) e casados, outros são bissexuais ou homossexuais que usam o vestuário do sexo oposto para atrair outros homossexuais.

HOME

 1) Sexo e Sociedade
2) Sexualidade e Escola
3) Quando começar.
 Virgindade real e falsa.
 Cancro  uterino.
      
4) Genitais femininos.
 Cancro genital e das mamas
5) Genitais masculinos.
 Cancro da próstata
6) Gravidez, contracepção,
 aborto, preservativos.
7) A Reprodução, causas de infertilidade
8) Doenças e disfunções
 sexuais.
9) Sexo oral, coito anal,
  homossexualidade.
10) Menstruação, pensos
 masturbação, Ponto G.

posições sexuais.
 
11) Glossário: A a P
  Afrodisíacos.... Pedofilia
12) Glossário: Q a Z
 Sadismo ... SIDA... vulva
  «---

Tumor: É um crescimento anormal de células no organismo: Pode ser maligno (canceroso) ou benigno. 

V

Vagina e canal vaginal: Órgão sexual feminino que, numa cópula, é o receptor do pénis. Ver página 4.
Venérea (doença venérea e DST): Doença Sexualmente Transmissível.
Ver página 8.

Virgem, Virgindade : Ver  páginas 3(virgindade) e 4(hímen)

Voyerismo: Quando uma pessoa se excita sexualmente espreitanto, por exemplo, por janelas, para ver alguém que se está a despir ou em actividade sexual.

Vulva: Estrutura externa, urogenital,  feminina. Ver página 4.

(Fim da página 12)
| TOPO |

Act2808071927